26 anos - relato da jornada e de melhoras significativas

Discussion in 'International Discussion' started by MatoAlto, Jun 16, 2020.

  1. MatoAlto

    MatoAlto New Fapstronaut

    3
    4
    3
    Olá a todos que possam ler este texto. Estou na caminhada sem marcar muito bem os dias mas já ultrapassei 20. Sou casado, tenho 2 filhos. Do início do ano de 2020 para cá comecei a experimentar sensações muito pesadas. Eu tinha estado há 1 ano sem beber. Voltei a beber nas festas de fim de ano e daí em diante passei a conviver com um estado de desânimo e falta de energia terríveis. Comecei a achar meu trabalho um saco, não fazia mais questão de tratar ninguém bem e até algumas manias de perseguição eu desenvolvi. Nesse pacote surgiu a disfunção erétil. Nunca me havia acontecido, nem quando bebia bastante. Coloquei a culpa no álcool e parei de beber mas assim que me sentia bem eu voltava a beber o ciclo vicioso recomeçava. Eu desconfiava mas não queria acreditar que a masturbação que praticava, escondido da minha mulher (elas fingem não saber mas sempre sabem) também precisava ser combatida e era a principal causa da minha "depressão".
    Fui ao psiquiatra, ele não me receitou remédio, disse: "você precisa apenas de terapia". Enrolei alguns meses até que os episódios não ter ereção ou perdê-la na hora da penetração começaram a se intensificar e isso foi extremamente frustante. Eu já estava abalado, comecei a ter medo de uma separação e carregava todas as culpas do mundo comigo sem conseguir sair dessa situação.
    A terapia me fez entender muitas coisas que eu vivia e não conseguia mudar ou me livrar, questões pessoais, de auto-estima, de família, de relacionamento, trabalho, enfim. A minha religião (espírita) junto à psicóloga me fizeram entender de vez que o álcool não era pra mim (me deixava deprimido durante dias, com crises de ciúme, choro, a sensação de impotência ia lá em cima) e a essas alturas não tinha ereção nem com vídeo pornô. Era necessário toda uma estimulação para ficar ereto mas no final das contas aquilo tirava minha vontade com relação à minha mulher e isso foi terrível. Saber que existia uma mulher ao seu dispor, com vontade e o "camarada" nem dar sinal de vida foi a pá de cal. Eu andava tendo que pesquisar coisas cada vez mais "sujas" na pornografia e mesmo assim não tinha mais os níveis de excitação anteriores (também, foram mais de 15 anos usando e abusando da masturbação + pornografia online).

    Eu já havia desconfiado que a masturbação tirava minha vontade de fazer as coisas em geral e principalmente sexo com minha mulher, mas ao longo dos anos isso foi se acentuando até o ponto de não ter mais "ânimo" para nenhuma das duas coisas, nem pro trabalho, nem pros meus filhos, nem nada. Me senti afogando na depressão e busquei sair. E pra ajudar, a pandemia me obrigou a ficar em casa (minha profissão está totalmente de quarentena) lidando com meus demônios 24 horas por dia.

    Minha receita é: PSICOTERAPIA + NOFAP

    Não me apego muito a esses "modes" nem regras do NoFap, pra mim é simples: PARE DE ACESSAR. Exclui os canais pornô da TV. Não levo celular ao banheiro. Procuro não ficar sozinho e, se fico, busco algo para fazer: limpar, trabalhar. Tenho compromisso religioso 1 vez na semana. Na terapia fiz as pazes comigo mesmo e a minha vida como um todo. Aprendi a me posicionar e então consegui diagnosticar as duas drogas que estavam me matando: ÁLCOOL E PORNÔ.

    Não bebo há quase dois meses, nem sinto falta. Junto a isso cortei o refrigerante e passei a me exercitar diariamente: corrida e treino funcional em casa mesmo. Ver o resultado do emagrecimento dá um ânimo legal. Quanto aos "gatilhos" que aparecem no Insta ou Face por exemplo, ou em grupos de Whatsapp eu simplesmente ignoro com muita facilidade visto que anteriormente seriam buracos negros me sugando para coisas mais pornográficas e acabando em um gozo solitário e depressivo. Não falto a nenhuma sessão de terapia e lá "aprendi" a entender quem eu sou e ter mais firmeza nas minhas decisões (coisas que eu nunca tive).

    Bom, acho melhor irmos aos resultados:

    Retomei minha ereção matinal há cerca de 2 semanas. TODO DIA ACORDO ERETO E AS VEZES DEMORA A VOLTAR. Passei a tomar mais cuidado com meu sono porque dormia muito mal. Não tenho vontade de fazer sexo todo dia com minha esposa mas quando ela me procura eu consigo atender e até eu ando a procurando e VOLTEI A GOSTAR DE SER SEDUZIDO POR ELA E SOMENTE POR ELA. É COMO SE EU TIVESSE UM PACTO COM MEU "AMIGO" E ELE TIVESSE ME DITO: VOCÊ SÓ FUNCIONA COM ELA A PARTIR DE AGORA, ESTA É SUA RECOMPENSA POR ESTAR FIRME SEM PORNOGRAFIA NEM BEBIDA ALCOÓLICA.

    Tenho tido ereções duradouras, consigo que ela "termine o serviço" antes de mim. Percebi que as fantasias que eu queria fazer na cama (aprendidas na internet) nem eram vontades minhas, e as vezes até a assustavam (onde será que ele aprendeu isso?) e então tudo está mais natural. As crises de ciúme estão ficando cada vez mais raras, as brigas diminuíram porque consigo ter paciência de ouvir e falar, consigo atender aos meus filhos e ajudar nas tarefas de casa com mais prontidão e disposição. As últimas 3 ou 4 transas foram sensacionais tanto para mim quanto para ela.

    Não fique pensando que sua recuperação vai demorar demais. A minha já está bem latente. Mostre o dedo do meio pra flatline, ria da cara dela. Nos dias mais difíceis reze ou ore (como queira chamar), arrume o que fazer só não fique no ócio. Não se coloque em situações que vão te fazer recair. Vá correr. Se você vir imagens sensuais sem querer em uma rede social não deixe que isso te arraste para a masturbação, ignore e mude de página, exclua pessoas que te "instigam" com fotos ou vídeos.

    Os benefícios aparecem rapidamente se você se esforçar. Faça as pazes com você mesmo como eu fiz comigo: Olha meu amigo, você já é adulto, pode se controlar e ter prazer de verdade com sua mulher. Suas relações pessoais melhoram, seu ânimo pro trabalho melhora, a vida volta a ter cor e sentido, sem necessidade de remédio anti-depressivo nem ansiolítico. Ao sentir suas ereções matinais voltarem você ganha confiança porque é uma ereção você não fez esforço para ter (sinal que a testosterona dos seu corpo está voltando ao normal). Você vai encontrar sites que dizem: masturbar-se é bom, saudável e blábláblá mas se você sabe que pra você não dá mais, abandone-a.

    Eu não gosto de ler relatos de gente ruminando: "ah, minha flatline está foda, recaí por causa dela" entre outras coisas. Meu amigo, a flatline é o ponto de partida de novas fazes do reboot e NADA COMO UM DIA APÓS O OUTRO.

    Não há mal que dure para sempre, basta fazer sua parte. Não escore sua caminhada em bloqueadores que facilmente você desativa. Escore sua caminhada em você mesmo. Eu nunca imaginei que melhoraria tão rápido. Tenho feito sexo como sempre sonhei: chegando ao orgasmo ou junto ou depois da minha esposa. Coisa que a masturbação não deixava, porque eu sempre acabava gozando antes ou pedindo para ela "apurar" porque não ia aguentar mais.

    BOM, O TEXTO É LONGO MAS É VITORIOSO E PODE SER ASSIM PARA VOCÊ TAMBÉM.
    VÁ PARA A TERAPIA, PRATIQUE EXERCÍCIOS E NUNCA MAIS ACESSE NADA PORNOGRÁFICO PARA NÃO CHEGAR AO PONTO DE ACHAR QUE SEU PÊNIS NÃO PRESTA MAIS PRA NADA E ESTÁ DIMINUINDO.

    Última observação: você terá a impressão de um pênis mais robusto com ereções duras como pedra e a tua confiança no "teu taco" vai te jogar no céu. NÃO BATA MAIS PUNHETA!

    ABRAÇOS!
     
  2. RagnarLothbrok

    RagnarLothbrok Fapstronaut

    11
    25
    13
    Grande relato, parabéns pelos resultados e que você continue firme nessa, eu passo por quase tudo que você relatou mas aos 18 anos kkkk, seu relato me motivou a continuar firme apesar da flatline, obrigado.
     
    MatoAlto likes this.
  3. MatoAlto

    MatoAlto New Fapstronaut

    3
    4
    3
    Isso aí mano! Faça o que for durante essa flatline mas não abra pornô nem fique tocando seu membro a título de se testar. Ele vai te surpreender e te dar "sinal de vida" antes do que você espera! Nada como um dia após o outro. Infelizmente não há juventude ou maturidade que nos livre do problema e dos mesmos sintomas, mas dá pra vencer. Um dia de cada vez você vai se livrando dele. Resista! Abraço!!!
     
    RagnarLothbrok likes this.
  4. MatoAlto

    MatoAlto New Fapstronaut

    3
    4
    3
    Na hora em que comecei a cogitar os pensamentos que me levaram a escrever este texto, o relógio marcava 03:00 da manhã. As últimas semanas têm sido de fortes provações. Já contam alguns meses sem beber e calculo que pouco mais de um mês sem pornografia e masturbação. Durante o início deste processo, obtive resultados rápidos. Ficar longe do álcool é a coisa mais fácil agora. Da masturbação nem tanto. As ereções matinais voltaram a surgir quase diariamente. O sexo real com minha esposa voltou a acontecer e minha expectativa de desempenho foi superada. No entanto, de 2 ou 3 semanas para cá minha libido foi lá embaixo. Em vários momentos me peguei pensando em assistir algo para testar a ereção e ver se realmente eu havia voltado à estaca zero. Nessas semanas, todas aquelas paranoias que antes de iniciar as abstinências que tão bem me fizeram voltaram a ocorrer. Pensamentos castradores, ciúmes e uma série de questionamentos sobre minha vida, meu comportamento e muitos, mas muitos julgamentos começaram a reaparecer, tão forte que pareço os reviver agora. Mas nesta madrugada eu acordei às 03:00 da manhã. Percebendo que todos os “sintomas” que eu percebi voltar, como ataques de ansiedade, crises de tédio e de sessões de reclamações contínuas (pandemia, trabalho, política) foram, na verdade, grandes testes (que não vejo a hora de que acabem). Por Deus, quase perdi a minha caminhada por conta de “querer me testar”. Tenho inclusive tentando sexo sem sucesso por questões fisiológicas da minha mulher e, sem ter o sucesso desejado, parece que níveis de stress dominaram minha mente me fazendo literalmente “pirar” nestes últimos dias.

    Eu já havia lido sobre flatlines e inclusive feito um post bastante positivo dizendo aos outros e aconselhando que eles não tivessem medo desses períodos de baixa emocional, que são na verdade os grandes testes. Temos os picos de testosterona do início da abstinência que nos dão um gás tremendo. E eu estava sob o efeito disso quando escrevi, tendo relações sensacionais como nunca mais havia tido então minha motivação estava nos céus. No entanto, nessas duas ou três semanas às quais me refiro agora, me senti completamente ao contrário. Libido zero, quase não respondendo nem aos estímulos reais (não cheguei a brochar, mas aquela ereção meia vida ocorreu).

    Afinal de contas, o que me fez acordar e escrever isto agora de madrugada (e acreditem que hoje está bastante frio, mas não consegui me segurar na cama), é que os “insights” para mim são também sintomas de que a mente está se limpando e conseguindo raciocinar e entender seus próprios processos. É preciso entender claramente que o reboot demora. E eu sou muito ansioso e quero tudo para ontem. O lado espiritual pode e deve te ajudar muito caso você acredite nessa parte. O que eu gostaria de deixar claro, para outros que assim como eu querem superar de vez o PIED (disfunção causada pela pornografia) é que existem momentos em que você vai se sentir um lixo. Vai sentir como se todo o esforço não valesse a pena. Vai perder o tesão pelas pequenas coisas da vida. Mas, como tudo na vida são ciclos, chega também a hora desse tesão voltar. Basta que você não ceda à tentação de se testar. Pensa na seguinte frase, que tem cunho religioso mas também pode ser inspiradora: “Não vou jogar fora tudo que Deus me concedeu pelo meu merecimento até aqui”.

    Tenho tentado pensar que as coisas vêm e vão e pra quem desenvolveu ansiedade devido a isso tudo e só descobriu quando parou, peço que insista. Ocupe seu tempo. Seja lá com o que for, mas ocupe seu tempo. O reboot é, antes de tudo, trocar o tempo gasto em pornografia e masturbação por coisas produtivas ou prazerosas. Lava uma louça, faça um serviço que está “acumulado” há tempos. Foque na sua produtividade no trabalho ou na melhoria de suas relações interpessoais. Gastar este tempo consigo mesmo faz bem. Ensina ao cérebro que você é o dono da situação. Muitos enxergam o abandono da pornografia como o real rito de passagem da adolescência à fase adulta, e quantos companheiros de jornada só vão perceber isso com idade já avançada? E quantos não vão querer assumir pra si mesmos que tem um problema? Portanto meus queridos. Continuo firme. SEM ÁLCOOL, SEM PORNOGRAFIA. Os dias ruins vão embora, assim como já se foram em outros tempos. E em breve espero encontrar a plenitude e a serenidade das minhas funções emocionais e físicas. Obrigado.
     
  5. CalixTOP

    CalixTOP Fapstronaut

    23
    16
    3
    Cara muito foda seus relatos, como ta agora?

    To com 30 anos e tbm com pied, hoje completo 1 semana de nofap
     

Share This Page